segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Saúde: Transtorno de Pânico



     Bom pessoas hj venho falar de um assunto muito sério, transtorno de pânico, uma doença psicológica, que apesar de para algumas pessoas parecer banal é uma coisa muito séria. Eu falo “parecer banal” por mim pq antes de passar pelo que eu passei eu achava que depressão, pânico e todas essas doenças psicológicas eram coisa de gente desocupada e mimada. Até que esse mal me atingiu talvez para abrir meus olhos para o que pra mim era desconhecido pq realmente é muito fácil falarmos de algo que nunca sentimos na pele. Eu vou escrever aqui o que eu passei para alertar as pessoas de que o pânico precisa ser tratado.


     Tudo começou no dia 04 de outubro de 2011 eu estava saindo do trabalho para almoçar e senti uma tontura muito forte tudo girava, ai eu pensei logo vai passar, afinal nunca tinha sentido algo tão estranho, ai fui pra minha casa e sentada na mesa comecei a sentir uns apertos no peito e náuseas, eu respirava fundo e o mal estar ia e voltava.
     Eu já estava no trabalho de volta e pedi para a encarregada medir minha pressão arterial, e estava 16x9 (alta). Ai tomei um suco de limão bem forte para regular a pressão (me deram suco de limão ao invés de remédio pq acharam que era gravidez, haha) e depois fiquei bem.
    Ai começou o inferno todos os dias perto do meio dia passava mal, a pressão subia, fui ao pronto socorro o médico me disse “ Ah vc tem que se estressar menos e diminuir a cafeína, se não melhorar procure um cardiologista” ai apartir daquele dia eu só tomava café de manhã cedo para dar energia, dai comecei a ficar fraca, perder peso pq não tinha mais vontade de comer pq tudo me fazia mal, perdi o humor, se passaram dois meses e eu ficava cada vez pior, então resolvi ir ao cardiologista ele disse que eram apenas crises de ansiedade, e que era normal na minha idade, (19 anos), pois nessa idade temos muitos sonhos e planos, mesmo assim me pediu 16 tipos de exames diferentes e estava tudo bem, e ele disse que logo tudo ia passar, Ok, veio as férias de fim de ano eu pude descansar e fazer exercícios físicos que os dois médicos me cobraram, e que eu não tinha tempo pq trabalhava o dia todo e estudava a noite.
    Eu estava melhor tinha algumas tonturas as vezes mais nada comparado as crises. As férias acabaram voltei a trabalhar, um mês depois começam as aulas, e junto com as aulas as crises, quer dizer A crise pq aquela foi muito forte cheguei a ficar com a boca toda roxa ai não aguentei mais chorei muito e implorei para minha mãe me ajudar sei lá me levar num psicólogo, ai fomos a uma farmácia da cidade e a farmacêutica recomendou uma psicóloga que realizava suas sessões através de hipnose eu topei, eu topava qualquer coisa para ficar melhor, ela me ajudou muito disse que eu não precisaria de medicamento pq não estava tão avançado, e me ensinou a me controlar através da respiração, foi uma experiência boa e funcionava muito, a cada vez que eu sentia que a crise se aproximava respirava fundo e soltava o ar pela boca, isso sucessivamente até ter certeza que a crise tinha ido embora.
    Só que ai comecei a desenvolver a estafa que é uma desnutrição das células, por causa das crises o desgaste era muito grande, ai resolvi buscar a ajuda de um neurologista, a essa altura eu estava péssima (vou postar fotos pra vcs verem eu era transparente, perdi 9kg) ele me receitou um complexo vitamínico muito bom ( eu já tinha tomado alguns por conta própria mais não resolveram nada) e uma espécie de antidepressivo bem fraquinho mais eu estou ótima, estou no 7º mês de tratamento, começando a retirar o remédio, sim esse processo tem que ser realizado aos poucos pq se não pod voltar tudo denovo.
    Essa doença é horrível eu nem falei que perdi a vontade de sair de casa, não ficava mais em casa sozinha, tudo por medo de passar mal e morrer e não ter ninguém para me socorrer, ai gente era horrível, pq as pessoas diziam “se acalma” “o que vc tem” “me conta o que está acontecendo”, e eu não tinha resposta pq nem eu sabia o que estava acontecendo comigo.
   Por isso fiz uma promessa que quando tudo acabar e eu não precisar mais de medicamento vou fazer uma tatuagem escrito VIDA pq eu tive muito medo de morrer durante as crises. Além do medicamento outras coisas me ajudaram, procurei pessoas que já tiveram esse problema e comecei a me espelhar nelas e acreditar que era possível sim se livrar desse mal. Li um livro muito bom chamado “ O monge que vendeu sua Ferrari” muito bom e tudo a ver esse livro.
    Bom gente é isso eu resolvi fazer esse post pq quando eu estava doente eu pesquisava muito na internet sobre a doença, então vim tentar ajudar as pessoas que estão passando o mesmo que eu passei, e por favor qualquer dúvida me perguntem que eu estou disposta a ajuda-los.

Aqui eu estava bem doente, reparem na minha cor e o sorriso tristonho


Humor recuperado, hehe, posando para caricatura
 

Comecei a sair com meus amigos, esse foi o primeiro show que eu fui e fiquei muito emocionada pq no auge da minha doença jamais teria coragem de sair de casa e ir para um show, sabendo que eu poderia passar mal e tudo mais


Beijos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários e sugestões